Image Map

21 de ago de 2014

[Especiais] Resenha + Filme: 3096 Dias - Natascha Kampusch

| |


Oi gente! Voltei com mais um post, e dessa vez é bem grandinho! Mil desculpas pela demora, mas a vida anda meio corrida ultimamente então...Complica. Bom, hoje vou falar sobre um livro e um filme, baseado na história real de Natascha Kampusch, que foi mantida em cativeiro durante 8 anos até finalmente conseguir fugir e contar a sua história ao mundo inteiro. Ambos são chocantes e mostram em detalhes, tudo que a jovem austríaca precisou passar para sobreviver nas mãos do sequestrador. Confira agora um relato de um dos sequestros mais longos da história.




           "Ao escrever esse livro, posso finalmente dizer: Sou livre."

Livro - Resenha


 

Autora: Natascha Kampusch
Editora: Verus
Páginas: 223
Nota: 5/5






   Natascha Kampusch era uma criança relativamente comum ao olhos dos outros, embora a menina tivesse alguns problemas de socialização na escola, e com os pais mantivesse uma relação que considerava superficial. Natascha conta com clareza toda sua infância difícil e cheia de problemas que ela preferia guardar para si mesma e se remoer sozinha. O começo de sua história já é complicado, pois descobrimos que antes do sequestro, Natascha é uma garota que já possui problemas e não encontra seu lugar no mundo. 
     Desde o início já me cativei com a personalidade da Natascha, pois mesmo sendo uma criança, ela é forte, madura e tem uma forte vontade de ser alguém independente. Essa mesma vontade, acabou sendo um dos fatores (mesmo que de maneira indireta) para seu sequestro, que aconteceu em 1998 enquanto ela caminhava em direção a sua escola, quando tinha apenas 10 anos de idade. A menina foi mantida em cativeiro em um cela subterrânea e tão pequena que em certas partes do livro se torna até claustrofóbica. Sendo que a única companhia de Natascha é seu próprio sequestrador. 
     Começava aí uma longa jornada de 8 anos cheia de torturas (físicas e psicológicas) e, principalmente de sobrevivência para a jovem Natascha.
     Confesso que já esperava uma leitura tensa e que me deixaria perplexa, afinal, o que mais eu iria esperar de uma livro que relata, em detalhes, um sequestro que durou 3.096 dias? Acredito que foi essa expectativa que me fez ficar ainda mais surpresa com esse livro. Natascha detalha todos as violências e abusos psicológicos que passou nas mãos de Wolfgang Priklopil, um engenheiro de telecomunicações da Siemens e também seu sequestrador. Ele, por sua vez, possui uma personalidade estranha e psicótica. Wolfgang pode ser extremamente violento, mas sempre que se justifica, dizendo que está apenas salvando Natascha do mundo lá fora, que era perigoso demais para ela. Natascha não gosta desse tipo de tratamento de seu sequestrador por sua própria personalidade independente, e acaba não gostando de se sentir dependente dos outros, o que não acontecia, pois, durante o cativeiro, Natascha se torna cada vez mais dependente de Wolfgang e podemos perceber isso com o passar dos capítulos.
    Fiquei bem surpresa com o relacionamento da menina com o seu sequestrador, que no inicio não foi dos mais violentos, porém, acabou piorando com o tempo. Tem momentos na leitura que sofremos junto com Natascha, pois ela escreve de uma maneira tão instigante e detalhada que é impossível deixar de ter compaixão e até de sentir uma estranha necessidade de ajudá-la. Eu, por exemplo, ás vezes até fechava o livro e dava uma longa pausa na leitura, porque em certos momentos fiquei indignada com os fatos relatados no livro. Jamais aguentaria passar por tudo isso. Mas, enfim, recomendo demais esse livro porque temos a oportunidade conhecemos a verdadeira história de Natascha e descobrimos tudo o que ela passou durante os 3096 dias de cativeiro. É uma história linda e tensa, que nos mostra  até que ponto o ser humano pode aguentar em um situação de tamanho risco e crueldade. Mas, também é uma história cheia inspiradora e nos ensina a jamais desistir, porque uma hora ou outra, nossos desejos são finalmente realizados.
    Acompanhamos de perto, página por página, a  longa jornada de Natascha Kampusch em busca da sua tão sonhada liberdade.



"Apenas um de nós podia continuar vivo, e no final, fui eu." 
Dirigido por: Sherry Hormann
Elenco: Antonia Campbell-Hughes, Thure Lindhardt
Gênero: Drama, Policial
Nota: 5/5
 

    O filme 3096 dias de cativeiro (também baseado na história de Natascha Kampusch), foi produzido por Sherry Hormann, diretora americana responsável pela produção do filme Flor do Deserto. O filme é o terceiro dirigido por Sherry e é baseado no livro 3.096 Dias escrito pela própria Natascha Kampusch. O filme foi bem fiel ao livro e aos relatos de Natascha. Vale ressaltar que a diretora recriou com perfeição todo o ambiente claustrofóbico da cela subterrânea em que Natascha foi mantida durante 8 anos de sua vida.
    O filme também é cheio de tensão e nos deixa bastante ansiosos e presos à história de uma maneira incrível. O roteiro foi muito bem trabalhado por Roth Toma, a narrativa ficou ótima e os diálogos conseguiam carregar o peso de cada situação imposta pelo sequestrador à Natascha.
     As torturas físicas e psicológicas são mostradas com clareza no filme, inclusive os estupros que não fora citados no livro, pois Natascha preferiu manter privacidade sobre o assunto, mas antes do lançamento do filme ela concordou e autorizou que a diretora o incluísse no longa.



    Claro que preciso ressaltar as incríveis atuações do elenco no filme, principalmente da atriz Antonia Campbell-Hughes, que se entrega completamente a personagem Natascha Kampusch (adolescente), a atriz até perdeu peso e ficou magra igual a Natascha durante o cativeiro. Além das próprias expressões fortes e olhar penetrante de Antonia, que passa com clareza todo o sentimento de tensão e medo. 
     A  jovem atriz Amelia Pidgeon que interpretou Natascha Kampusch na infância também merece seu destaque no elenco. Apesar de ser jovem, Amelia consegue incorporar a personagem incrivelmente bem. Ela demonstra toda a inocência de uma criança sequestrada e vai evoluindo consideravelmente durante o filme, se tornando alguém cada vez mais madura e isso é uma das coisas que mais me impressionaram com relação a atriz! 
    É óbvio que eu não podia esquecer do incrível Thure Lindhardt, ator que interpretou com maestria o psicopata e maníaco Wolfgang Priklopil. Sua atuação merece um certo destaque por ele conseguir passar com perfeição a imagem do personagem que tem uma personalidade tão diferente e de características psicóticas.
    O elenco foi muito bem selecionado e todos se entregaram completamente aos seus respectivos personagens. O que foi incrível!
     Enfim, 3.096 dias de cativeiro é um filme muito bem dirigido, que foi fiel a obra e merece muitos elogios. Conta de maneira explícita todo o sofrimento de 8 anos de cativeiro que Natascha Kampusch precisou enfrentar. Não vou dizer que o final é surpreendente, porque todos nós sabemos o final. Mas, é impossível não se sentir tocado pela história de um dos sequestros mais longos e torturantes de que se tem história.

Confiram o trailer:




 Espero que tenham gostado e sintam-se a vontade para conhecer a emocionante história de Natascha Kampusch.

Beijos e até o próximo post!  


5 comentários:

  1. Bianca :O eu fiquei com muita vontade de ler e assistir o filme kkkkk parece ser perfeito! Parabéns pela resenha, Flávio aqui :) bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Flávio! Que bom que ficou curioso, eu amei o filme e o livro <3 Espero que goste! Me diz o que achou depois!

      Beijos :D

      Excluir
  2. Parece ser aqueles livros que continuam na nossa cabeça mesmo após a leitura. Fiquei muito curiosa para ler, com certeza deve ser uma lição para nós que muitas vezes reclamamos da nossa vida sem motivos relevantes. Adorei a resenha, é bem detalhada e dá uma boa visão sobre o que é o filme e o livro :)

    Beijos,
    www.a-book-devourer.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico imensamente feliz que tenha gostado Letícia! Eu simplesmente adorei a leitura, espero que também goste :) Que bom que gostou da resenha! Obrigado pela visita e pelos comentários!

      Beijos

      Excluir
  3. Ah , tenho que descorda com você , o livro da detalhes de uma forma , e o filme conta de um jeito ou nem conta as coisas da forma certa

    ResponderExcluir

Comentários são sempre bem-vindos! :)